Sendo tão ocupado, como é que você consegue ler tanto?

Leandro Karnal, palestrante, professor e articulista do Estadão, diz frequentemente receber esta pergunta.

E, segundo ele, costuma responder assim:

“É um processo bastante complexo e que venho refinando ao longo dos anos”.

E prossegue, revelando seu segredo:

“Eu geralmente sento, coloco o livro no meu colo, abro-o com uma das mãos e então começo a ler”

Em sua palestra sobre ética – que encerrou o Gartner Symposium, em São Paulo, em outubro, Leandro dividiu essa e outras reflexões sobre comportamento e atitude. Isso me lembrou que estava adiando um post sobre autodesenvolvimento em tempos digitais.

Resolvi, então, seguir o conselho do professor: sentar, abrir o laptop e escrever.

Vou dividir o assunto em dois posts. Hoje falo de leitura, audiobooks, priorização e investimento. No próximo, sobre redes sociais e cursos online.

A essência da liderança e seu papel é constantemente objeto de discussão e revisão pela literatura, pela indústria e pelas pessoas em geral. Líder que escuta, líder que compartilha, líder servidor. O último a comer o prato de comida, na filosofia militar. O líder visionário. O líder inovador. O agente de mudança. O líder sem conflitos. Liderança com propósito. A lista não termina. Pobres líderes…

Além disso, sem dúvida é requisito de todo bom líder ser capaz de ajudar a desenvolver as competências de seu time, de seus colegas e  de seus pares.  E não há melhor maneira de fazer isso do que pelo exemplo. E para colaborar com os líderes de plantão, e com você que anda encontrando dificuldades para estudar em meio a agendas cada vez mais apertadas e corridas, resolvi compartilhar algumas estratégias que eu adoto. Não há receita de bolo que funcione para todos, mas indico algumas práticas que funcionaram comigo, em maior ou menor grau.

Priorização

Quando se tem pouco tempo é necessário priorizar. Você quer ler, mas não tem tempo? Tente avaliar como tem utilizado seu tempo ao longo do dia: emails, redes sociais para entretenimento, conversas (úteis e menos úteis), etc. Se aprendizado é importante para seu trabalho e sua vida, você precisa escolher aquelas duas ou três atividades que são menos importantes no seu dia e abandoná-las.

Leitura (de livros)

Leitura é hábito, sim, mas como desenvolver esse hábito? Costuma-se dizer que levamos 21 dias para desenvolver um novo hábito, e que basta uma semana ou menos para perdê-lo. De todo modo, para desenvolver o hábito de leitura prefiro recorrer ao conselho do Karnal: a gente acostuma a ler, lendo. É fato que durante uma semana corrida é bastante difícil encontrar tempo para longas sessões de leitura, mas em pequenas doses é possível.

Durante a semana faço pequenas sessões de 15 a 30 minutos próximas da hora de dormir, absolutamente não cronometradas, mas que podem ultrapassar uma hora quando o assunto empolga. É fundamental escolher uma leitura adequada para o período ou você vai acordar com o livro todo amassado na cama.

eBooks / e-Reader

Embora relutante no começo, adotei o e-reader da Amazon e hoje sou fã do Kindle (não, não estamos recebendo patrocínio de Jeff Bezos, by the way). Hoje há versões do aparelho de R$ 300 a R$ 1.200. Usado você pode conseguir por cerca de R$ 200. E você também pode ler pelos aplicativos para smartphone, desktop ou notebook.

Não deixei de ler livros em papel. De fato, também tenho maior prazer na leitura em papel. Porém, a praticidade da leitura digital é imbatível.

Livros digitais estão contigo o tempo todo. Você não quer gastar a cota de bagagem colocando três livros na sua mala de viagem sem saber qual você vai querer ler? Sem problemas – leve todos no dispositivo. Chegou no destino e sentiu vontade de ler, mas não teve tempo de comprar o livro? Ok. Compra na hora. Está em uma palestra e o autor indicou um livro super interessante? Vai anotar para depois passar na livraria? Não, compre na hora e comece a ler no intervalo.

Outro fator favorável ao ebook diz respeito à leitura antes de dormir. Se você divide a vida com alguém, você sabe que nem todos os seus hábitos são apreciados. E ler com um e-reader como o Kindle não é tão intrusivo como ler com a luz acesa, com um abajur ou com tablet iluminando o quarto todo. Além disso,  em regra, os dispositivos são mais leves que livros, podendo ser segurados com uma mão só, deixando-o mais confortável para ler deitado. Grifar trechos e anotações também é possível, mesmo sem luz no ambiente.

Alguns livros são tão interessantes que merecem as duas versões – digital e impressa. Se o livro virou referência “de cabeceira” para mim, eu invisto também na versão impressa, para complementar anotações, para estar na mesa ao lado do teclado.

Audiobooks 

Passamos boa parte do dia dentro do carro, no trânsito. Novamente, a tecnologia tem ajudado a melhor aproveitar esse tempo. Em meu caso, alguns dias, apenas ouço a CBN/Band News, e em outros curto uma música para relaxar. Mas cada vez mais ouço audiobooks durante o trajeto casa/trabalho/casa.

Há várias ferramentas disponíveis, bem como variedade de conteúdos. Para mim, funciona o que é mais simples. Adotei o Audible como ferramenta, embora já tenha instalado o uBook também. Mas Jeff Bezos não adotou o slogan “a loja de tudo” à toa e ter em uma mesma conta na Amazon acesso aos ebooks, livros impressos e livros em áudio é uma senhora facilidade.

Posso assegurar que a maioria de nós não vai ouvir audiobooks com a empolgação da foto acima! Mas a ferramenta é muito útil! Ela vai ajudar a desenvolver seu inglês e te permite acelerar ou diminuir a velocidade da leitura, adaptando o ritmo ao seu nível no idioma e à sua pressa na leitura.

Além disso, a Amazon tornou bastante simples algo que normalmente é uma baita dor de cabeça: devolver produtos que você não gostou. Não se fideliza um cliente dando uma experiência infernal e dores de cabeça a ele. Por isso, tanto no Audible quanto no Kindle, se logo no início da obra percebo que ela não era aquilo que eu queria ou que não tem a qualidade esperada, eu devolvo. Bastam alguns cliques e foi. É uma relação de confiança que se contrói.

Mas atenção: se você estiver dirigindo, não use fones de ouvido para isso. A audição é essencial para a segurança no trânsito. Tente conectar seu smartphone ao som do carro, seja via cabo ou bluetooth. E não fique trocando de livro ou voltando durante o percurso. Autodesenvolvimento é importante, mas sua vida e a das outras pessoas é mais.

Investimento

Mais de uma vez pessoas me disseram: “eu não vou pagar por um livro que a empresa (ou o órgão) deveria me disponibilizar” ou “se é interesse da empresa que eu me capacite, eu não acho justo pagar por um treinamento”.

Errado. Errado e errado. Ao menos, na minha concepção. Evidentemente que empresas e instituições têm a obrigação e a necessidade de promover o desenvolvimento de seus colaboradores. É questão de sobrevivência.

Contudo, no plano pessoal temos de fazer a nossa parte. Não somos funcionários dessa organização. Estamos funcionários dessa organização. E se na semana que vem a empresa encerrar atividades ou iniciar um programa de desligamento? Como você irá em busca de recolocação no mercado? E se a oportunidade que você tanto espera não aparece justamente pela sua falta de apetite para o desenvolvimento?

Não costumo ter dores na consciência e nem fazer grandes divagações antes de comprar livros ou alguns treinamentos. Até porque hoje em dia – livros eletrônicos e cursos virtuais – estão muito mais em conta. Evidentemente, conforme o investimento cresce, sou mais crítico e consciente na seleção.

Nosso país nunca valorizou a educação como devia. E o resultado, de certa forma, continuamos colhendo: corrupção, baixo desenvolvimento, burocracia, fome, violência. Precisamos mudar essa perspectiva! E nada melhor do que mudarmos nossa própria atitude em relação ao aprendizado e à educação.  Educar-se é investir em si mesmo. E um investimento que precisa ser constante. Aprender faz bem para sua saúde, para sua autoestima, para sua empresa,  para sua família, para seu país.


Conte-me o que funciona para você – as melhores dicas eu coloco no próximo post.  Pode me enviar pelo Twitter @AudMarcioBraz ou comente aqui mesmo. Forte abraço e até a próxima!